Skip to main content
Dentons continúa su expansión en América Latina con alianzas en Argentina y Uruguay / Fotolia
Dentons continúa su expansión en América Latina con alianzas en Argentina y Uruguay / Fotolia

Dentons estabelece aliança com Rattagan Macchiavello e Jiménez de Aréchaga na Argentina e no Uruguai

Jorge Alers, CEO de Dentons para a América Latina e o Caribe, concedeu entrevista à LexLatin para falar do movimento
por Ana C. Blanco
publicado em13/09/2019
Compartilhar

Dentons já se estabeleceu na Argentina e no Uruguai ao concretizar alianças com as firmas Rattagan Macchiavello Arocena e Jiménez de Aréchaga, Viana & Brause, respectivamente. As firmas agora incluem a marca Dentons em suas próprias marcas: Dentons Jiménez de Aréchaga, pelo Uruguai e Dentons Rattagan Maquiavello Arocena, pela Argentina.

Esta é a mais recente de uma longa lista de movimentos que tem feito Dentons na América Central e do Sul, em seu afã por se posicionar como o maior escritório de advogados da região.

Jorge Alers, CEO de Dentons para a América Latina e o Caribe, em entrevista concedida à LexLatin, explicou que a firma não só deseja entrar em novos mercados, em novos países, senão em novos mercados dentro dos países onde já estão. “Por exemplo, no Brasil temos escritórios em Brasília e São Paulo, mas seria lógico pensar que tenhamos um escritório no Rio de Janeiro (…) porque o mercado de São Paulo é bem diferente ao do Rio de Janeiro”, adiantou.

Detalhou que as alianças na Argentina e no Uruguai se concretizaram logo de suficiente tempo para identificar as firmas que cumpriram com os dois critérios fundamentais para ser elegíveis:

“Que sejam advogados excepcionais, algo que eu mesmo tenho podido comprovar porque em ambos os casos, tenho trabalhado com eles, e que estejam fascinados e comprometidos com o que é Dentons hoje em dia. Não queremos que simplesmente vejam a Dentons como uma fonte de futuros trabalhos de outros escritórios senão que procurem integrar-se e colaborar com seus clientes. Essa dinâmica, obviamente sumamente subjetiva, é o que tem diferenciado a estes escritórios de outros com os que nos sentamos a conversar”.

Para Dentons é muito importante que estes advogados queiram ser líderes do processo de transformação substancial que atualmente está atravessando a profissão legal. “Queremos escritórios e advogados que reconheçam essas mudanças e sejam proativos, não queremos escritórios que simplesmente esperem para reagir às mudanças ocorridas”, explicou Alers.

Igualmente, dado o modo policêntrico de Dentons no que respeita à experiência e conhecimento tanto em temas legais como em assuntos operativos e administrativos do escritório, a firma também espera que os advogados reconheçam o mérito dos conhecimentos, experiências e precedentes em outros mercados. “Naturalmente, devem estar abertos para incorporar essas experiências a seus próprios trabalhos, não pode ser uma batalha de proteção de seu mercado senão advogados que queiram compartilhar com advogados de outros escritórios”, indicou.

Maior desenvolvimento tecnológico para o Uruguai

Para Jiménez de Aréchaga, também entrevistada por nossa revista, esta combinação implicará a incorporação de sistemas tecnológicos e de gestão de práticas legais internacionais em todas as áreas e âmbitos de trabalho. “Vamos aproveitar, em forma imediata, as oportunidades que a plataforma de Dentons nos dá, tanto na gestão como para gerar novos trabalhos”, asseverou.

Ademais, a firma antecipa um crescimento no quadro de profissionais, devido à demanda de trabalho que esta integração trará.

“Estamos muito entusiasmados com este novo passo e com muita vontade de começar rapidamente a fazer uso da plataforma tecnológica e demais serviços e oportunidades que Dentons brinda para os clientes e nossos profissionais”, afirmou Mariela Ruanova, sócia do escritório uruguaio.

Em quanto ao novo mercado, Alers salientou que o objetivo de contar com escritórios em Montevidéu e Buenos Aires não está centrado na obtenção de clientes particulares nem no contexto econômico e político do momento, senão na visão de que os clientes buscam, hoje em dia, ter advogados talentosos de diferentes países dentro de uma mesma firma. Este objetivo se vê claramente na absorção que fez Dentons de Norton Rose Fulbright (NRF) na Venezuela, durante um período crítico para o país, remarcou.  

Oportunidades para os clientes na Argentina

Jorge Alers antecipou que os setores que terão más êxito por sua fortaleza serão aqueles setores e indústrias que estiverem mais integrados ao mundo global, “porque uma das vantagens comparativas é o alcance de nossos escritórios. Na Argentina, seriam os recursos naturais, matéria-prima, banca, novas tecnologias, porque são os mais integrados ao sistema global”, assinalou.

Rattagan Macchiavello, da Argentina, explicou que seus clientes receberam a notícia positivamente toda vez que implica múltiplas melhoras:

“Poderemos satisfazer outras questões que cada vez se exigem das firmas como a nossa, como procedimentos para detectar possíveis conflitos de interesse, cumprimento de protocolos de compliance, a possibilidade de receber relatórios periódicos e o acesso remoto a seus arquivos, ferramentas de cybersecurity, e até contar com apólices de seguro por temas de responsabilidade profissional”.

Segundo Juan Martín Arocena, um dos sócios fundadores e co-managing partner do escritório, “este processo foi como um trem que passava, a opção era tomá-lo ou ficarmos em pé na estação vendo-o partir. Os sócios do Estúdio coincidiram em que devíamos apostar e não só os sócios estamos muito contentes por havê-lo feito, a equipe de advogados e o pessoal estão sumamente motivados e entusiasmados com as oportunidades de crescimento resultantes. Tem sido um grande impulso para todos”.

O processo de concretizar as alianças passa por muitas conversações, disse o CEO de Dentons, e pode tomar mais de dois anos. Isso sim, não há nenhum problema na integração de escritórios na América Latina e no Caribe porque há um entusiasmo muito grande de participar dentro do esquema de Dentons.

Jiménez de Aréchaga, Viana & Brause conta com uma equipe de 16 profissionais liderados por oito sócios. Brinda assessoria nas áreas de banca e finanças, corporativo e M&A, Real Estate, resolução de disputas, trabalhista, energia, tributário, recursos naturais, direito público, entre outras.

Rattagan Macchiavello Arocena conta com 13 sócios e 18 profissionais. Oferece assistência legal nas áreas corporativa, ambiental, de energia e recursos naturais, infraestrutura e construção, resolução de disputas e contratação pública.

Dentons começou a expandir-se na região desde 2016 e já conta com 23 escritórios. A inícios de agosto, a firma anunciou a combinação com Gustavo Zacapa e Associados em Honduras, somando este país à Colômbia, Brasil, México, Chile, Venezuela, Peru, ao Caribe, à Guatemala, El Salvador, Panamá, Nicarágua, e São José e Libéria na Costa Rica, nações que albergam à firma global.

Una-se à discussão!

HTML Restringido

  • Allowed HTML tags: <a href hreflang> <em> <strong> <cite> <blockquote cite> <code> <ul type> <ol start type> <li> <dl> <dt> <dd> <h2 id> <h3 id> <h4 id> <h5 id> <h6 id>
  • Lines and paragraphs break automatically.
  • Web page addresses and email addresses turn into links automatically.