Skip to main content
Usiminas es una de las principales compañías siderúrgicas de Brasil / Bigstock
Usiminas es una de las principales compañías siderúrgicas de Brasil / Bigstock

Brasileira Usiminas liquida empréstimos com emissão de bônus

Empresa obtém 750 milhões de dólares no mercado internacional
por Ingrid Rojas
publicado em11/09/2019
Compartilhar
Tags

Brasil

A Usiminas International, filial da siderúrgica brasileira Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais SA - Usiminas, emitiu bônus de 750 milhões de dólares no mercado internacional com cupom de 5.875% e vencimento em 18 de julho de 2026. Os fundos obtidos serão usados para pagar empréstimos pendentes como parte de um processo de renegociação de dívida.

 

Na oferta, que foi liquidada em 18 de julho, Skadden, Arps, Slate, Meagher & Flom LLP (São Paulo e Nova Iorque), assessoraram em temas corporativos e impositivos, e Galdino, Coelho, Mendes Advogados (São Paulo) assistiram à Usiminas.

 

Ogier (Luxemburgo) assistiu na preparação do arquivo de solicitação para cotar no Euro MTF, nas aprovações corporativas, na emissão de uma opinião legal para os compradores e na coordenação com a Bolsa de Luxemburgo para a listagem dos bônus. Shearman & Sterling LLP assessorou aos bancos participantes.

 

Jones Walker LLP aconselhou The Bank of New York Mellon, como fideicomissário, mas o escritório declinou fazer comentários.

 

Os valores, que estão garantidos incondicional e irrevogavelmente pela Usiminas, foram qualificados com “Ba3” por Moody’s e “BB-” por Fitch Ratings. Skadden assinalou que a operação marcou o retorno da Usiminas ao mercado internacional de bônus depois de 11 anos.

 

A Usiminas precisou que as receitas netas da oferta foram usadas para pré-pagar empréstimos pendentes com um grupo de credores japoneses (Japan Bank for International Corporation - JBIC, Nippon Usiminas Co., Mizuho Bank e outras instituições financeiras japonesas), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES e titulares de obrigações emitidas pela companhia. Além disso, também foram usados para o pagamento parcial de certas dívidas com instituições financeiras brasileiras (Banco do Brasil, Banco Bradesco e Itaú Unibanco), como parte da renegociação de dívida da Usiminas.

 

Em um comunicado, datado 1° de julho, se assinala que se alcançou um acordo para renegociar dívidas com as instituições financeiras mencionadas e titulares de obrigações.

 

A Usiminas destacou que a renegociação de dívida é um importante marco para o ajuste de seu perfil de endividamento a curto, médio e longo prazo, preservando sua capacidade financeira e de operação. Fundada em 1962, tem se consolidado como um dos principais grupos siderúrgicos do Brasil, com atividades nos segmentos de mineração e logística.

 

A CSN, acionista da Usiminas, emite notas de crédito à exportação

 

Como parte de um processo de reestruturação de dívida, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e sua filial CSN Mineração emitiram cinco notas de crédito à exportação (NCE) por 1.499,5 milhões de dólares (6.208,3 milhões de reais ao 8 de setembro) a favor do Banco do Brasil. A operação foi aprovada em 26 de março e concluída em 23 de abril.

 

Machado Meyer Advogados assistiu o banco no rascunho e negociação das emendas às NCE, do direito de retenção fiduciário sobre as ações da CSN emitidas pela Usiminas como garantia das NCE e dos instrumentos que regulam a transferência dos créditos ao Banco do Brasil.

 

Em 2015, a CSN adquiriu uma participação acionária na Usiminas. A CSN tem negócios nas áreas siderúrgica, de mineração, cimento, energia e logística.


Assessores legais

Assessores da Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais S.A. - Usiminas:

  • Skadden, Arps, Slate, Meagher & Flom LLP (São Paulo e Nova Iorque): Sócios Filipe Areno e Víctor Hollender. Associados Jonathan A. Lewis e Karina Cardozo de Oliveira.
  • Galdino, Coelho, Mendes Advogados (São Paulo): Sócia Cristina Biancastelli. Associada sênior Cláudia Trindade. Associada Carolina Bueno.
  • Ogier (Luxemburgo): Sócio Fabien Debroise. Conselheiro Nicolás Mille. Associado Caleb Holder.

Assessores dos bancos:

  • Shearman & Sterling LLP*

Assessores do Banco do Brasil S.A.:

  • Machado Meyer Advogados: Sócios Bruno Janikian Racy e José R. Prado. Advogados Natália Fava de Almeida e Roberto Kerr Cavalcante Bonometti.

* A firma não forneceu os nomes de seus advogados.

Una-se à discussão!

HTML Restringido

  • Allowed HTML tags: <a href hreflang> <em> <strong> <cite> <blockquote cite> <code> <ul type> <ol start type> <li> <dl> <dt> <dd> <h2 id> <h3 id> <h4 id> <h5 id> <h6 id>
  • Lines and paragraphs break automatically.
  • Web page addresses and email addresses turn into links automatically.